DOCUMENTOS IMPORTANTES para DOWLOADS

O que é a CASA DO ARTISTA RIOGRANDENSE:
Conforme o estatuto, art 1° e 2°, "sociedade civil de direito privado, sem fins lucrativos, retiro destinado aos artistas necessitados, impossibilitados pela idade ou por motivo grave de prover o próprio sustento, dando-lhes abrigo, alimentação e condições dignas de sobrevivência, dentro das possibilidades da entidade".

DOCUMENTOS para DOWLOAD (clique nos links para abrir)
Casa do Artista PROJETO BASE
Estatuto da Casa do Artista Riograndense
Autorização para Débito em Conta Banrisul
Planta de Situação
Planta de Cortes
Planta de Fachadas
Declaração de Utilidade Pública Municipal
Diário Oficial da Declaração de Utilidade Pública Municipal
VISÃO DA DIRETORIA - Mostrar dedicação e persistência na melhoria da Casa do Artista Riograndense, mudando a injusta realidade atual, buscando construir um novo modelo de sobrevivência auto-sustentável.
Veja mais fotos e publicações recentes acessando: Facebook da Casa do Artista

quinta-feira, 11 de julho de 2013

SARAU NA CASA DO ARTISTA TEVE PARTICIPAÇÃO DE MARCELO DELACROIX E OUTROS CONVIDADOS








SARAU NA CASA DO ARTISTA TEVE PARTICIPAÇÃO DE
MARCELO DELACROIX E OUTROS CONVIDADOS

Edição do tradicional evento mensal aconteceu no dia 29 de junho de 2013

A tarde do dia 29 de junho, mais uma vez, teve muita descontração, interpretações de músicas de gêneros variados, apresentação de rádio-teatro e a participações de artistas convidados. O Sarau da Casa do Artista é um espaço democrático, aberto a qualquer tipo de arte e que se renova a cada edição. O Sarau teve apresentação de Marcelo Delacroix e o Grupo de Canto da Escola Projeto, que contava com 15 integrantes. A programação teve participação dos artistas moradores da casa, entre eles o ator e músico Zé da Terreira, o rádioator Carlos La Porta e o cantor Carlos Conde.
O objetivo do evento é valorizar a arte e melhorar a autoestima dos moradores da casa, já que muitos, não possuem mais condições plenas para o trabalho e, por esse mesmo motivo, precisam deste espaço para morar. “O sarau é sempre um momento mágico para os artistas que vivem na casa. Eles aguardam ansiosos pelo evento e se preparam durante semanas para receber os visitantes. É uma troca de energia, de amor e de experiências dos que gostam e valorizam a arte regional.”, salienta o presidente da instituição, Luciano Fernandes.

Serviço:
O que? Sarau na Casa do Artista Riograndense
Quando? 29 de junho
Horário: 15h
Onde: Rua Anchieta, 280, bairro Glória, Porto Alegre
Entrada Franca

Saiba mais sobre a casa
Localizada na Rua Anchieta, 280, no bairro Glória, Zona Leste da Capital, a Casa do Artista Riograndense funciona num prédio que pertenceu à tradicional família Rocco e foi adquirido no início dos anos de 1950. Artistas daquela época já se preocupavam e identificavam a necessidade de um local para abrigar colegas, que quando tinham dificuldades em suas carreiras ficavam sem assistência para as necessidades básicas, como alimentação, saúde e moradia, realidade que acontece até os dias de hoje, já que muitos artistas não se encontram em boas condições de trabalho. Com mais de 60 anos, a casa abriga hoje 10 moradores, que dedicaram suas vidas para levar a arte a um número incalculável de pessoas de várias gerações.

Ajude a mantê-la fazendo alguma doação
- Banrisul
Ag 0073
Conta: 06.011348.0-8
Clientes do Banrisul podem autorizar o débito em conta
- Caixa Econômica Federal
Ag: 0428 Operação: 003
Conta: 1.618-9

Qualquer contribuição é bem vinda!
“Valorize o trabalho destes artistas. O aplauso é a maior recompensa para quem passou grande parte da vida nos palcos”
Atenciosamente,
Casa do Artista Riograndense
Rua Anchieta, 280 – Bairro Glória – Porto Alegre – RS – CEP 90870-
www.casadoartista.org
Fones (51) 9123-7519 ou 9429-1566

quarta-feira, 5 de junho de 2013

JANTAR DANÇANTE - renda destinada a Casa

JANTAR DANÇANTE
O grupo Hamsa da Na’amat Pioneiras Porto Alegre realizará um jantar dançante, dia 14 de junho, no Hotel Plaza São Rafael.
A renda será destinada a Instituição Casa da Artista Riograndense.

Data: 14 de junho de 2013
Horário: 20h30min

Local: Hotel Plaza São Rafael – Av. Alberto Bins, 514


O jantar contará com a apresentação da banda de pop&rock.
Durante a noite serão sorteadas obras de arte, jóias e outros brindes.

Maiores informações (51) 9991-2376

Realização:

Grupo Hamsa

NA’AMANT PIONEIRAS
Organização femina, da comunidade judaica de Porto Alegre.

Atenciosamente,
Casa do Artista do Artista Riograndense
www.casadoartistariograndense.blogspot.com
www.casadoartista.org
Fone: (51) 9123-7519


Temporada de Saraus - registro de 23 de maio

Neste sábado tem Sarau na Casa do Artista Riograndense
Espetáculos de vários gêneros fazem parte da programação que tem entrada franca



Depois do sucesso da primeira edição da temporada de saraus, que aconteceu em abril, mais um evento já está agendado. É neste sábado, 15 horas, na Casa do Artista Riograndense (CAR), que fica na Rua Anchieta, 280, bairro Glória.
Prestigiar o trabalho e elevar a autoestima dos artistas moradores é o objetivo do sarau. Além disso, possibilita a captação de recursos para melhorar a qualidade de vida de quem vive no local. “Quando as pessoas visitam a casa, elas ficam sensibilizadas e passam a ser nossas colaboradoras. Aqui nós precisamos de tudo, desde o amor e a atenção, até recursos materiais para que o espaço funcione melhor”, ressalta o presidente da CAR, Luciano Fernandes.
O formato do evento permite que os participantes não sejam apenas espectadores, mas que também possam interagir nos espetáculos. As apresentações incluem música, dança, teatro, poesia, radioteatro e performances, todos realizados nos diversos ambientes da casa, tanto no pátio como na área social. A programação é desenvolvida pelos 10 moradores da casa, entre eles o ator e músico Zé da Terreira, o radioator Carlos La Porta, o cantor Carlos Conde e o ator Sirmar Antunes. Também participam artistas convidados e parceiros do projeto.
O evento, que é realizado desde março de 2012, neste ano conta com incentivo do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Governo do Estado. “Este reforço do setor público é o pontapé inicial para nos ajudar a qualificar este trabalho, que até então vinha sendo bancado, totalmente, com a ajuda espontânea da comunidade”, completa o presidente.
Saiba mais sobre a casa
Localizada na Rua Anchieta, 280, no bairro Glória, Zona Leste da Capital, a Casa do Artista Riograndense funciona num prédio que pertenceu à tradicional família Rocco e foi adquirido no início dos anos de 1950. Artistas daquela época já se preocupavam e identificavam a necessidade de um local para abrigar colegas, que quando tinham dificuldades em suas carreiras ficavam sem assistência para as necessidades básicas, como alimentação, saúde e moradia, realidade que acontece até os dias de hoje, já que muitos artistas não se encontram em boas condições de trabalho. Com mais de 60 anos, a casa abriga hoje 10 moradores, que dedicaram suas vidas para levar a arte a um número incalculável de pessoas de várias gerações.

Visite: www.casadoartistariograndense.blogspot.com.br ou www.casadoartista.org
Serviço:
O que? Sarau na Casa do Artista Riograndense
Quando? 25 de abril
Horário: 15h
Onde: Rua Anchieta, 280, bairro Glória, Porto Alegre
Ingresso: A entrada é Franca
Como contribuir com a casa
- Banrisul - Ag 0073 - Conta: 06.011348.0-8
Clientes do Banrisul podem autorizar o débito em conta
- Caixa Econômica Federal - Ag: 0428 Operação: 003 - Conta: 1.618-9


Participe de alguma maneira ajudando a recuperar as condições deste espaço que abriga artistas de grande importância na construção do imaginário da população gaúcha!!!

Atenciosamente,

Casa do Artista Riograndense


MAUSOLÉU CASA DO ARTISTA RIOGRANDENSE

A Casa do Artista Riograndense se organiza para a construção de um Mausoleu no cemitério São João como forma de respeito e preocupação com nossos artistas com idade mais avançada a fim de oferecer mais uma opção de um espaço especial. No futuro poderemos lembrar com felicidade os que ajudaram a construir a cultura da nossa cidade. A chamada “melhor idade” é prioridade (Lei 10.741/2003 – Estatuto do Idoso) conforme seu artigo terceiro:
“É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Pode r Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.”
Imagem do Projeto: 


TÍTULO DE ARRENDAMENTO PERPÉTUO FRENTE: 


Atenciosamente, 
Casa do Artista Riograndense

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Casa do Artista tem alma


Atores, músicos e radialistas driblam a tristeza e o esquecimento fazendo o que mais sabem: cantar e interpretar dramas e belezas da vida


Wilson (E), José Carlos, Carlos La Porta e Conde  - Foto: Marcelo Oliveira / Agencia RBS
Noel Rosa não era convidado, mas compareceu. Adoniram Barbosa chegou de fininho. Lupicínio só espiou. A festa na Casa dos Artistas Riograndenses estava armada. Em memória aos ídolos do passado, o ator e músico Zé da Terreira, 67 anos, puxa o coro dos presentes. E o samba pede passagem:
A casa, que acolhe talentos esquecidos da música, do teatro, do rádio e da televisão gaúchos no Bairro Glória, na Capital, se ilumina com Carlos La Porta, 76 anos, Wilson Roberto Gomes, 70, e Conde, 69. Agora o recital de sonhadores está completo, mas a letra de Noel os traz de volta à realidade:
Os hóspedes, claro, estão felizes, mas, quando o sol se põe, o medo desperta. E com ele, o pesadelo das incertezas do futuro. Na Casa, a tristeza segue na espreita atrás da porta. Mesmo assim, Zé, Conde, Carlos e Wilson não deixam o samba morrer, não deixam o samba acabar:
Quem é quem
Carlos La Porta, 76 anos, irmão de Júlio La Porta, xerife e homem do sino da Feira do Livro. Carlos foi ator e diretor de teatro e radioteatro, manequim, professor de cursos de teatro e de modelo. Hóspede desde 2011.
Carlos Conde, 69 anos, cantor. Nos anos 60 e 70, apresentou-se nas melhores casas noturnas da Capital. O repertório diversificado desse intérprete vai de Altemar Dutra a Djavan. Entrou na Casa em 2009.
Wilson Roberto Gomes, 70 anos. Artista plástico, ator, locutor e escritor de radioteatro. A pintura de temas abstratos na parede da sala de estar da Casa foi feita por ele. Entre idas e vindas, está há 26 anos ali.
José Carlos Peixoto da Silva, 67 anos, o Zé da Terreira. Ator e músico da Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, Zé é um agitador cultural em defesa do teatro popular. Fez uma ponta no filme Pra Frente, Brasil, de Roberto Farias, em 1982.
Outros moradores: Sirmar Antunes, Maria Therezinha Pereira Dias, viúva de Vanoli Pereira Dias, que ficou na história como o diretor da maioria dos filmes de Teixeirinha, Bayard dos Santos, Catulo Parra Fareia, Antônio Luiz Orestes Neto e Carlos Silveira Borges.
A Casa
Fundada em 1949, a Casa do Artista Riograndense (Car) abriga artistas com mais de 60 anos com dificuldade para se sustentar. O prédio da Rua Anchieta melhorou muito, mas precisa de reformas. A receita, obtida por meio de contribuições espontâneas, nem sempre cobre a despesa de R$ 1,5 mil mensais para manutenção do imóvel de 11 quartos, dez deles ocupados atualmente. A luz, por exemplo, é paga pelo ator Roberto Birindelli.
O presidente da Car, Luciano Fernandes, palhaço e professor de artes circenses, luta para manter os artistas com dignidade. Implantou um curso de informática para os hóspedes e obteve doação de R$ 20 mil da Vonpar para começar a reforma no prédio, orçada em R$ 110 mil.
A entidade também disputa recursos do Fundo do Idoso, mediante aprovação de projetos no Conselho Municipal de Assistência Social.
Como ajudar
A Casa fica na Rua Anchieta, 280, no Bairro Glória. Telefone: 9123-7519, com Luciano. Alimentos e material de limpeza e de higiene são bem-vindos.
A Casa também mantém uma página no Facebook.
Atração
No último sábado de cada mês, a entidade sem fins lucrativos promove, a partir das 15h, o Sarau na Casa, com encenações, música, poesia e radioteatro. O evento é aberto ao público.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

REGISTROS EM VÍDEO

VÍDEO DO TELEDOMINGO

VISITE NOSSO NOVO SITE www.casadoartista.org

VÍDEO DA ZERO HORA

VOLTA DO SARAU NA CASA DO ARTISTA 2013


Nosso novo site é www.casadoartista.org
Este mês tem sarau você esta convidado a nos visitar!
Casa do Artista Riograndense abre temporada de saraus em 2013 sempre no último sábado do mês.

O primeiro evento do ano acontece no próximo sábado, 27 de abril, das 14h as 19h. As apresentações ocorrerão sempre no último sábado de cada mês. A programação cultural logo contará com recursos do Fundo de Apoio à Cultura e tem entrada franca.

Para quem gosta de arte, e, principalmente, da diversidade de gêneros que ela contempla, o Sarau da Casa do Artista é uma excelente oportunidade para prestigiar o trabalho e elevar a autoestima dos artistas moradores, além de possibilitar a captação de recursos para melhorar a qualidade de vida de quem vive no local. O formato do evento permite que os participantes não sejam apenas espectadores,
podendo também interagir nos espetáculos. 

As apresentações incluem música, dança, teatro, poesia, rádio teatro e performances, todos realizados nos diversos ambientes da casa, tanto no pátio como na área social. A programação é desenvolvida pelos 10 moradores da casa, entre eles o ator e músico Zé da Terreira, o rádio-ator Carlos La Porta, o cantor Carlos Conde e o ator Sirmar Antunes. Também participam artistas convidados e parceiros do projeto.

O evento, que é realizado desde março de 2012, neste ano contará com incentivo do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Governo do Estado. “Este reforço do setor público é o pontapé inicial para nos ajudar a qualificar este trabalho, que até então vinha sendo bancado, totalmente, com a ajuda espontânea da comunidade”, ressalta o presidente da CAR, Luciano Fernandes. Ele salienta ainda, que são muitas as carências dos artistas que vivem na casa. “Apesar de todas as dificuldades financeiras vivenciadas diariamente, com toda certeza a valorização do trabalho desses artistas é uma das maiores recompensas que podemos oferecê-los.” 
Saiba mais sobre a casa
Localizada na Rua Anchieta, 280, no bairro Glória, Zona Leste da Capital. O prédio onde está instalada a Casa do Artista Riograndense, pertenceu à tradicional família Rocco e foi adquirido no início dos anos de 1950. Artistas daquela época já se preocupavam e identificavam a necessidade de um local para abrigar colegas, que quando das dificuldades em suas carreiras ficavam sem assistência para as necessidades básicas, como alimentação e saúde. Isso acontece também no presente, já que muitos artistas não encontram mais boas condições de trabalho. Com mais de 60 anos, a casa abriga hoje 10 moradores, que dedicaram suas vidas para levar a arte a um número incalculável de pessoas de várias gerações. Visite: www.casadoartista.org
Como contribuir com a casa 
- Banrisul
Agência 0073
Conta Corrente 06.011348.0-8
- Caixa Econômica Federal
Ag: 0428 Operação: 003
Conta: 1.618-9

Clientes do Banrisul podem autorizar o débito em conta. (pergunte como)
Participe de alguma maneira ajudando a recuperar as condições da casa que abriga artistas que construíram o imaginário deste estado.

Serviço:
O que? Sarau na Casa do Artista Riograndense
Quando? 27 de abril
Horário: 16h
Onde: Rua Anchieta, 280, bairro Glória, Porto Alegre
Ingresso: A entrada é Franca, mas quem quiser levar um kg de alimento será de grande utilidade

Atenciosamente,

Luciano Fernandes
Presidente da Casa do Artista Riograndense
Fone: (51) 9123-7519

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Espetáculo de Teatro na Casa do Artista Riograndense (CAR)

Espetáculo de Teatro na Casa do Artista Riograndense (CAR)
Olá amigos da cultura gostaria de convidar vocês para assistir espetáculo de teatro de rua dentro do 19º Porto Alegre em Cena que acontecerá no pátio da CAR.
O Espetáculo acontece dia 21 de setembro às 18h na Rua Anchieta, 280 – Bairro Glória. ENTRADA FRANCA
Saiba mais abaixo.

Em um discurso violento e gongórico Adolf Hitler afirma:
“será mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil enviar soldados para lutar na Europa.”

Anita Garibaldi também esta na peça... leia mais no texto abaixo.

“A Cobra Vai Fumar”
O texto “A Cobra Vai Fumar” obedeceu ao trabalho coletivo de dramaturgia expresso no método de criação do TUOV, e aplicado em espetáculos anteriores.
Inúmeros personagens realmente existiram e alguns episódios, de fato aconteceram mas, mais de setenta por cento da peça foi fruto das sugestões de todo o grupo, nas suas Fichas Dramáticas e no Roteiro Geral onde afloraram a vivência dos pracinhas da FEB – Força Expedicionária Brasileira, durante o período de sua permanência nos campos de batalha da Itália, na segunda grande guerra mundial.
Os personagens, as cenas e os conflitos periféricos e o principal nasceram da pesquisa extenuante que durou três anos, em livros, jornais da época e em entrevistas de ex-combatentes. As figuras do cachorro Boy; do Tenente York do exército americano, bem como do Cabo Oto Muller são reais e suas estórias deram grandes subsídios para o perpassar dos personagens no desdobrar da trama.
Cenas como as dos programas radiofônicos; o episódio da galinha “assassinada” e a participação dos veteranos (ex-combatentes) aconteceram de fato e são mostrados quase como ocorreram na vida real.
O título “A Cobra Vai Fumar – Uma estória da FEB” surgiu da somatória das múltiplas versões que tentam mostrar o porque do slogan “a cobra vai fumar” e do logotipo que mostra uma serpente fumando um cachimbo do tipo do usado por um Saci.
Uma dessas versões merece registro como estória contada por artistas populares.
Ela apresenta, num típico cordel, um discurso violento e gongórico, em que Adolf Hitler afirma “que será mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil enviar soldados para lutar na Europa.”
Algumas figuras do texto receberam seus nomes numa citação em homenagem as suas atividades como cidadãos.
As enfermeiras, por exemplo, foram “batizadas” como Anita, Olga e Carmem rememorando as trajetórias de Anita Garibaldi, Olga Prestes e Carmem Miranda.
As Vivanderiras foram chamadas de Gina, Sofia e Ana lembrando as carreiras de Gina Lolobrigida, Sofia Lorem e Ana Megnani.
Os pracinhas João, José, Severino e Chico tiveram seus nomes sacados de um levantamento, extra oficial, dos nomes mais presentes nos registros dos participantes da Força Expedicionária Brasileira.
-- O TUOV tem plena e total convicção de que “A Cobra Vai Fumar” vai auxiliar o resgate desse episódio contraditório que a cada dia que passa é jogado pela História Oficial, para debaixo do tapete.
Como um país subjugado pela ditadura violenta de Getúlio Vargas, batizada, ironicamente, de “Estado Novo”, envia seus filhos para morrerem pelejando pela liberdade?
Para o bom entendimento do método de Trabalho Coletivo de Dramaturgia do TUOV recomenda-se a leitura do livro “Em Busca de um Teatro Popular” e a coleção das obras completas do TUOV publicada pela Secretaria de Cultura do Município de Guarulhos, estado de São Paulo, e lançada nas comemorações dos 40 anos de resistência do Teatro Popular União e Olho Vivo.
A verdade histórica deve prevalecer para que as gerações futuras possam, conhecendo nossos erros e acertos, caminhar na busca de uma pátria livre e igualitária.
Esta obra é dedicada a todos aqueles que, como o professor de teatro Clóvis Garcia, se apresentaram, voluntariamente, para lutar contra os governos totalitários de ontem e hoje para que eles não se mais vigorem.
A ação se desenrola, em torno da vivencia de cinco pracinhas, um deles gaúcho, durante o tempo que durou a campanha da FEB na Itália (1944/45).
Viva o Teatro de rua!
Viva o Teatro Popular!
Atenciosamente,
Luciano Fernandes
Presidente da Casa do Artista Riograndense
Fone 9123-7519

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Campanha de doações na nova conta da Caixa Econômica Federal que pode ser feito deposito em Lotéricas

Campanha de doações na nova conta da Caixa Econômica Federal que pode ser feito deposito em Lotéricas:
Agência: 0428
Operadora: 003
Conta: 1.618-9
CNPJ: 88.316.336/0001-09
Nome: CASA ARTISTA RIOGRANDENSE


sábado, 25 de agosto de 2012

Hortinha da Casa do Artista Riograndense

HOJE EU E MEU PAI ESTAREMOS CONSTRUINDO A
1ª HORTINHA DA CASA DO ARTISTA RIOGRANDENSE
A PARTIR DAS 10 horas da manhã... seja voluntário e
venha ajudar a construir um futuro melhor e
mais saudável para os moradores da casa.
Atenciosamente,
Luciano Fernandes
Presidente da Casa do Artista Riograndense
Rua Anchieta, 280 - Bairro Glória
Fone 9123-7519


Espetáculo tem como ingresso produtos de limpeza para a casa do artista riograndense

Nada Me Faltará
Dentro da programação da Sala 504 da Usina do Gasômetro, que atualmente está sendo administrada pela Cômica Cultural, chegou a vez de estrear o evento cultural trimestral “Experimentos sobre autores Contemporâneos.” Nesta primeira edição, em foco o autor Lourenço Mutarelli”. Serão dois finais de semanas, onde apresentaremos encenações, leituras dramáticas e debates, para compartilhar os estudos trimestrais sobre ele. A cada três meses um novo autor contemporâneo passa a ser estudado pelos diretores e atores da Cômica Cultural. Teremos ainda as experimentações sobre a obra de Daniel Galera e Miranda July.
Nada Me Faltará, do livro homônimo de Lourenço Mutarelli traz ao palco a história de Paulo, um analista de sistemas que desaparece na companhia de sua mulher e de sua filha por um ano e, quando reaparece, não se lembra de nada do se passou e não faz idéia do que aconteceu com Luci, a esposa e Ingrid, a filha de quatro anos. Para contar essa história e tentar desvendar esse mistério temos a família de Paulo: a mãe, a irmã e o cunhado; os amigos Carlos e Cris, o colega de trabalho Johnny, um psicanalista, um detetive particular e uma hipnotizadora.
Serviço:
Dias: 25 de agosto as 21 horas e 26 de agosto as 20 horas
Direção e adaptação: Patsy Cecato (adaptado do livro Nada Me Faltará de Lourenço Mutarelli)
Elenco: Leo Bello, Gustavo Saul, Marilaine Pacheco, Jordan Martini, Fátima Reis, Cristiano Godinho, Fernanda Moreno, Boni Rangel, Fabíola Barreto, Saulo Aquino e Catharina Conte
Ingresso: produtos de limpeza para a casa do artista riograndense


terça-feira, 14 de agosto de 2012

Feijoada Beneficente para a Casa do Artista Riograndense


Feijoada Beneficente para a Casa do Artista Riograndense

O Novotel Porto Alegre Três Figueiras (Av. Soledade, 575 – Três Figueiras) promove feijoada beneficente no dia 18 de agosto, entre 12h e 15h, para a Casa do Artista Riograndense, que abriga 11 artistas com idade superior a 60 anos em vulnerabilidade social. Parte do valor arrecadado será destinada à instituição. O evento conta também com o apoio da Estética Visage, localizada na capital gaúcha.

O prédio de arquitetura colonial da Casa do Artista Riograndense foi adquirido no início dos anos 1950 por artistas da época que já identificavam a necessidade de um local para abrigar profissionais que, em final de carreira, encontravam-se desassistidos de suas necessidades básicas.

De acordo com o gerente geral do Novotel Porto Alegre Três Figueiras, Alexandre Facchini, o intuito desta ação é contribuir com pessoas que já provocaram diferentes emoções em décadas atrás. "É importante ajudarmos artistas que realizaram sua tarefa na sociedade, mas que infelizmente passam por momentos de dificuldades", afirma Facchini. Ao longo do ano, o Novotel realiza feijoadas beneficentes para outras instituições carentes com o mesmo propósito.

Serviço:
Feijoada Beneficente para a Casa do Artista Riograndense
Quando: 18 agosto de 2012
Valor: R$ 48,00
Horário: entre 12h e 15h

Locais para compra de convite:
Estética Visage (Rua Eça de Queirós, 377 – Petrópolis - Fones: 3022.7901 / 3022.7900)
Casa do Artista Riograndense (Rua Anchieta, 280 – Bairro Glória – Fone: 9123.7519)
Novotel Porto Alegre Três Figueiras (Av. Soledade, 575 – Três Figueiras – Fone: 3327.9292)


sábado, 12 de maio de 2012

Momentos da Casa do Artista Riograndense - Registros passados
(parte 1)

(parte 2)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

No “CORREIO DO POVO” de DOMINGO – 15 de janeiro de 2012

Dos antigos aplausos ao silêncio

Casa do Artista Riograndense, na Capital, abriga atores que há anos aguardam novos convites para retornarem aos palcos


As paredes de um antigo casarão no alto do bairro Glória, em Porto Alegre, guardam lembranças, aplausos, risos, amores e sucessos de uma época de ouro. Ali, na Casa do Artista Riograndense, 11 moradores vivem dias que em nada lembram os tempos agitados e de convites para trabalho do passado. Uns seguem na ativa. Outros, à espera de um chamado. Mas todos com a arte e o talento ainda à flor da pele.

Não existe ex-artista. A arte está impregnada naquele que usa o corpo e a alma para atuar, cantar, brincar, fazer rir e chorar o seu público. Mas o tempo é implacável. E o sucesso de outrora se esvai, e os aplausos, o combustível do artista, vão se silenciando. Carlos La Porta, 75 anos, sabe bem disso. Natural de Porto Alegre, ele começou a atuar em radionovelas em 1954.

"Chegava a fazer umas três novelas por dia. Felizmente, a TV ainda não existia", diz o ator. La Porta fez parte da TV Piratini, em 1959. Participou da extinta TV Tupi, entre 1971 e 1976, integrando diversas novelas. Entre elas, a primeira versão de "Mulheres de Areia", onde fez o papel de Vladimir, o namorado da gêmea má (na versão recente foi representado por Paulo Betti).

Os olhos azuis, a postura ereta e o alto astral denunciam a sua outra profissão: "Fui o primeiro manequim masculino do Rio Grande do Sul", revela La Porta, que teve uma escola para modelos na Capital e, entre os alunos, Dilson Stein, o professor de Gisele Bündchen. Mais do que isso: "Fui considerado o segundo Paulo Autran", lembra, confessando estar desanimado. "Sou ''ex'' de tudo. Tenho a sensibilidade à flor da pele e quero fazer teatro, mas quando penso que é preciso ir em busca de patrocínio, desanimo, porque é uma luta", comenta.

Aposentadoria é uma palavra que passa longe do ator Sirmar Antunes, 55 anos. Ele carrega um currículo extenso, com atuações em produções como "Netto Perde sua Alma", o que lhe rendeu o prêmio de melhor ator coadjuvante em festivais de cinema. Antunes também participou de "Lua de Outubro" (filme) e de "A Casa das Sete Mulheres" (minissérie), entre outros. Ele conta que já ingressou na carreira com os olhos voltados para o cinema. "Eu queria ser um Sebastião Bernardes de Souza Prata, o Grande Otelo", resume o mais novo morador da Casa do Artista - ele está lá há pouco mais de um mês.

No ano passado, Antunes participou de três filmes, inclusive o longa metragem de Tabajara Ruas "Os Senhores da Guerra", com estreia prevista neste ano. Ele deverá participar de mais dois filmes em 2012 e está ensaiando uma peça de teatro. Além de tudo, ainda faz dublagens e ministra palestras.

As paredes do velho casarão, fundado em 1949, ganharam vida com a arte de Wilson Roberto Gomes, 69. Ele pinta paredes e objetos de decoração com muito talento. O vozeirão, entretanto, entrega a verdadeira profissão desse radioator, que mora na Casa do Artista Riograndense há mais de uma década. "É uma higiene mental", resume Gomes.

Na rua Anchieta, 208, do bairro Glória, as paredes quase podem falar. Elas contam histórias de um tempo bom que não volta mais. Abrigam artistas sempre à espera de um novo espetáculo. Na esperança de que o show tem que continuar.

DOAÇÕES
A Casa do Artista Riograndense está precisando especialmente de alimentos, material de construção e material de limpeza. Interessados em fazer doações podem entrar em contato com o presidente da entidade, Luciano Fernandes, pelo telefone (51) 9123-7519. Contribuições diretas também podem ser feitas no Banrisul, através da agência 0073, conta corrente 06.011348.0-8. Informações sobre a casa: http://casadoartistariograndense.blogspot.com

Apenas uma dama entre cavalheiros

Apenas uma dama vive entre os cavalheiros na Casa do Artista Riograndense, situada no bairro Glória, em Porto Alegre. O nome dela é Maria Therezinha Pereira Dias, de 85 anos.
Viúva de Vanoli Pereira Dias, conhecido por dirigir a maioria dos filmes de Teixeirinha, ela e o marido viajaram pelo Brasil na companhia de Procópio Ferreira e Bibi Ferreira, entre outros artistas famosos. "Minha formação é cabeleireira, mas tive que ser atriz por necessidade", lembra Maria Terezinha.
Atualmente, ela vive na Casa do Artista. Sua história mais triste é a perda do filho caçula, quando ele tinha apenas 21 anos. O mais velho, que atua como artista plástico, está morando no Litoral. A mãe segue os seus dias na casa que, para ela, é como viver num retiro, ao lado de colegas de profissão.

Ator circense administra o local

À frente desta república que é a Casa do Artista Riograndense está um jovem ator circense. Há dois anos, Luciano Fernandes, de 36 anos, administra o local. E, aos poucos, tenta com dificuldades colocar a casa em ordem. As doações são poucas, mas ajudam no pagamento das contas essenciais, como água, telefone e Internet. Um antigo colaborador paga a conta de luz há anos. 

Ainda, uma parceria com a Corag permitirá que os moradores tenham oficinas de informática. "Isso fará com que eles se conectem à classe através da Internet", diz Fernandes. Uma parte do grande casarão está em reforma. A ideia dele é transformar a estrutura para receber artistas vindos do Interior. "Para que possam se hospedar aqui e também fazer shows para dar vida à nossa casa." Durante um tempo, a casa ficou jogada à própria sorte. Quem administrava o local eram os próprios moradores. O matagal tomou conta da frente da casa durante muito tempo. Aos poucos, Fernandes, que é muito mais novo que os seus inquilinos, conquistou a confiança dos velhos artistas
"Nossos moradores são livres. Aqui tem muito trabalho para fazer", resume.



Projeto Artistas Conectados - Apoio: Corag

Como objetivo geral se tem capacitar os moradores da Casa do Artista Rio-grandense para uso das novas tecnologias digitais, buscando integrá-los a este meio de comunicação, visando assim sua possível reinserção no mercado de trabalho das artes. Além de levar este tipo de atividade também para a comunidade local, buscando integração desta com a casa.

Com o aprendizado destas linguagens, os moradores estarão mais aptos a divulgar e assim preservar a memória histórica e cultural da casa, no que tange ao trabalho realizado por estes artistas no passado. A comunicação através de redes sociais, blogs informativos e de divulgação e alternativa para ocupar o tempo ocioso dos moradores podendo trazer-lhes novas perspectivas quanto a seu trabalho são os pontos mais visados, tendo em vista a vontade de muitos de continuar atuando de alguma forma no campo das artes.
Teremos monitores capacitados para que se ministrem oficinas e vamos adquirir equipamentos de informática (computadores - CPU/Teclado/tela/Mouse - noteboock, impressoras, caixas de som, microfones, Web Cam), mesas e cadeiras.
Vislumbramos a manutenção histórica de uma cultura regional, de nossas “bibliotecas vivas”, homens e mulheres, trabalhadores das artes que carregam mais que as dificuldades inerentes a uma sociedade que não está preparada para atender qualificadamente a geração da “terceira idade”. A chamada “melhor idade” é prioridade (Lei 10.741/2003 – Estatuto do Idoso) conforme seu artigo terceiro:
“É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária.”
apoio: 

Banner de indentificação no portão de entrada do Casa do Artista
Doação do Grupo Depósito de Teatro
Obrigado Roberto Oliveira
A Associação Cultural Depósito do Teatro é uma entidade cultural sem fins lucrativos, com gestão democrática e transparente, fundada em 1996. Durante seus 15 anos de existência, teve a felicidade de produzir 25 montagens profissionais de excelente qualidade artística, referendadas pelo público e pela crítica especializada, conquistou inúmeras indicações ao Troféu Açorianos e Tibicuera, e foi agraciada em várias ocasiões e diversas categorias com estes prêmios oficiais da Prefeitura de Porto Alegre

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Idosos de tanto valor para sociedade do Rio Grande do Sul

Nas fotos: Wilson, Catulo, Laís Dias, Zezão e nas fotos abaixo os novos moradores La Porta e Sirmar Antunes.

Nenhuma outra Casa abriga pessoas idosas de tanto valor para sociedade do Rio Grande do Sul como a Casa do Artista Riograndense. A maioria das entidades assistenciais tem apoiadores. Nós temos 10 moradores e uma diretoria que desenvolve um trabalho voluntário. A Casa do Artista é uma das únicas entidades que cuida de artistas idosos do Brasil. Temos muitos asilos na cidade. Não somos um asilo, lá as pessoas ainda trabalham e estão a procura de mais atividades para exercer seus ofícios.

A Casa do Artista esta reformando suas estruturas físicas aos poucos e tem recebido muitas visitas, temos feito divulgações em TV, rádio, jornais, universidades, na Câmara de Vereadores, Assembléia Legislativa, internet e redes sociais. Os moradores com o passar o tempo tem sentido e elogiado a presidência pelas reformas, as maiores que viram nos últimos anos – tudo isso graças às doações.
Você que se sensibilizou com a questão da Casa do Artista Riograndense, que acolhe esses velhos artistas, se deu conta de quanto é importante cuidar do nosso patrimônio cultural humano que esta morando na casa, um lugar seguro, livre, limpo, organizado, com livros, luz, máquina de lavar roupa, computadores, internet, alimentos e reuniões com uma psicóloga. É uma experiência atual única.
Penso que as pessoas que podem vir a se beneficiar da Casa do Artista e que têm possibilidades para tanto talvez pudessem pensar a respeito de contribuir com algo, por pouco que fosse.
Que tal contribuir com dois ou três trocados hoje? - ou R$5 ou R$20!
Conta de Banco e CNPJ da Casa do Artista Riograndense:
Depósitos no Banco BANRISUL - AGÊNCIA 0073 - CONTA CORRENTE 06.011.348.0-8
CNPJ 88.316.336/0001-09 (a pedidos, para fazer transferência de outros bancos)
O que é surpreendente na Casa do Artista é que pessoas como eu, que adoram arte como o teatro o circo a dança, podem dividir a paixão com os moradores. É isso que torna a Casa do Artista tão mágica - existe uma luz silenciosa dentro dos humanos que nasce da vontade de ajudar e que tem feito a casa melhorar e evoluir!
Por favor ajude a manter esse lar de acolhimento fazendo uma doação hoje mesmo.
Para onde vão as sua doações
Gastos de contas e da reforma: Água, faxina, alimentos, pintores, pedreiros, tinta, cimento, ferreiro para portões e grades, produtos de limpeza, contadora, água, gás, lâmpadas, e campanhas de valorização da casa.
Ao doar, você ajuda a Casa do Artista, uma associação sem fins lucrativos que abriga artistas com mais de 60 anos em dificuldade financeira e outros projetos da Casa. Em relação a nossa política de privacidade de doadores, não expomos suas informações a ninguém.
Estamos tentando facilitar as doações. Por favor, deixe-nos saber como poderíamos facilitar sua doação. Envie suas sugestões para:
FAZER UMA CONTRIBUIÇÃO MENSAL
Contribua com o débito em conta automaticamente, me pergunte como.


Facebook da Casa do Artista

Olá, a Casa do Artista Riograndense está convidando você para participar do Facebook.
Uma vez que estiver participando, você será conectado com a página Casa do Artista Riograndense, juntamente com as pessoas e outras coisas que lhe interessam.
Atenciosamente,
Casa do Artista Riograndense
Dê uma olhada no Facebook da Casa através do link abaixo:
http://www.facebook.com/p.php?i=1178547222&k=AQBIF3854r2tC8sDfpk7baB0gpNeNX3Aq1mda38-AHcIL4ZqZcAJnWQt_PZB97WRn5ObCA&r&oid=143277515779403



Apresentação do Moradores - Terça InCâmara


Apresentação do Moradores da Casa do Artista Riograndense

Terça InCâmara - Atrações Culturais com entrada franca
Dia 29 de novembro
20 horas
- Zezão Música e Percussão
- Fotos Históricas
- Vídeos Historicos
- Rádio Teatro (texto e interpretação dos proprios moradores)

O Terça InCâmara é um projeto desenvolvido pela Câmara Municipal de Porto Alegre, desde março deste ano, e faz parte da programação do Teatro Glênio Peres, localizado na Casa Legislativa (Av. Loureiro da Silva, 255).
Objetivo: Motivar os moradores da casa!